Nenhuma arte no carrinho
Negação- Daniel Bombardier> Artista

Compre Artist Denial-Daniel Bombardier's Street Art Graffiti Arte Moderna, Gravuras, Originais, Esculturas e Pinturas.

Denial é um artista canadense que faz experiências com arte em aerossol e stencil, enquanto seus principais campos de interesse são o consumismo, a política e a condição humana na sociedade atual. O pseudónimo e o alter ego que adoptou são, por si só, indicativos da sua intenção de criticar os políticos, os anúncios e os meios de comunicação, que geralmente nos bombardeiam com informações, das quais desconhecemos ou mesmo negamos. Daniel Joseph Bombardier, como é seu nome real, tornou-se ativo pela primeira vez na cena da arte de rua durante o final dos anos 1990 e, desde então, seu apelido de "DENIAL" foi estabelecido em uma base global com mais de 500 adesivos, cartazes murais e muito mais , usando os caracteres alfanuméricos “[email protegido]”. Os meios e meios usados ​​pelo artista variam da pintura em spray aerossol à gravura e da escultura às criações em madeira. A temática de seus trabalhos é igualmente diversa e se estende desde a crítica do capitalismo e das principais marcas até a zombaria dos teóricos da conspiração.

Ordenar:

Compre arte pop moderna do grafite da negação

Com base na arte da Negação, podem-se identificar elementos da Pop Art. Como muitos artistas de sua geração, Denial abraça a pop art e presta homenagem a ela ao incorporar temas relevantes em suas obras de arte. Como resultado, sua arte inclui logotipos de marcas, referências à energia nuclear, teorias da conspiração, estética noir e, em muitos casos, a bandeira americana, especialmente como apreciador de suas obras. Essa série heterogênea de temas, de certa forma, é utilizada pela artista, por um lado, como um espelho, para apresentar questões contemporâneas, e, por outro, como uma arma, para enfrentá-las.

Mesmo que sua abordagem possa, às vezes, parecer niilista, seus comentários a seguir são reveladores sobre as intenções de sua arte: “Meu trabalho fala de desgraça iminente e muitos temas sinistros grosseiros, mas isso não significa que eu desejo que isso aconteça . Espero que meu trabalho sugira o contrário: mostrar o ridículo de tudo isso e como podemos encontrar melhores soluções para o futuro. A merda tem que mudar e é disso que eu acredito que meu trabalho realmente fala ”.

Essencialmente, ele está satirizando a realidade, que ele e nós estamos experimentando, por meio de alguns dos símbolos mais emblemáticos da cultura ocidental. Desde o logotipo da Coca Cola, Superman e Pernalonga aos perfumes do Canal e cartões de crédito, ele está utilizando esses produtos culturais com a intenção de se manifestar contra o sistema que os deu origem. Como resultado, ele os recontextualiza e os transforma de produtos comerciais em seu legado cultural.

O artista é altamente consciente socialmente e por meio de seu trabalho está tentando provocar seu público. De certa forma, ele quer aumentar a consciência sobre questões contemporâneas por meio da estimulação visual de seu trabalho e usando suas próprias palavras “você pode literalmente ver ao seu redor os resultados diretos de muitas das questões que meu trabalho explora. Sem-teto, desemprego, execuções hipotecárias, acesso a alimentos saudáveis ​​e baratos, expansão urbana ... ”.

Outro aspecto do trabalho de Denial é o humor. A sua obra é satírica, o que, por definição, significa que utiliza o humor como mecanismo de confronto. “Pela minha experiência, se você pode fazer alguém rir, você pode fazê-los pensar. Uso o humor em alguns dos meus trabalhos para esse fato, para abrir o diálogo. Eu realmente não sei por que as pessoas compram meu trabalho, mas sou grato por ter fãs e colecionadores que ajudam a perpetuar minha carreira. Se eu tivesse que adivinhar, diria que compram porque conseguem, entendem que as coisas deveriam e poderiam ser diferentes, acreditam em um futuro sem injustiça / sofrimento humano que é o tom fundamental do meu trabalho. ”, Comenta. em uma entrevista em 2006.

Naturalmente, o artista evoluiu como uma das figuras mais proeminentes dos artistas pop contemporâneos que, no entanto, continua a se manter relevante e está interessado em gerar comentários instigantes. Ele tem uma longa história de exploração dos limites da apropriação, que utiliza como meio de subverter o valor dos produtos culturais, impressos na memória coletiva da civilização ocidental. Seu trabalho, em outras palavras, está convidando o espectador a repensar nossa sociedade distópica como forma de enfrentá-la, tendo o humor e a ironia como as maiores ferramentas do artista.

Nesse espectro, a arte de Denial é fortemente política e social, uma vez que o artista assume posições específicas contra questões como capitalismo, cultura de consumo e publicidade. Mais importante, o artista está ciente de suas escolhas e motivações: “Gosto de me ver como uma arte pop ativista. A forma como me relaciono com desenhos e gráficos é muito mais fácil do que com coisas foto-realistas. Adoro fazer referência a coisas com as quais as pessoas estão tão familiarizadas. Com humor e nostalgia, você pode abrir a comunicação. Eu fiz isso por anos, usei elementos de humor e familiaridade para abrir um diálogo, porque então você pode deslizar em alguns problemas reais e coisas diferentes que você está tentando transmitir em seu trabalho. Você tem um fluxo muito mais aberto para a consciência da pessoa e experiência de como ela está levando sua arte. Se você conseguir fazer com que eles riam disso, lembre-se de algo ou relacione-se com alguma imagem. Então, eles vão ampliar e ver todos os detalhes ocultos que coloquei lá. ”

No mundo da Negação, a memória é importante, pois é a base de seu trabalho, pois encoraja nostalgicamente o público a se envolver com ele. Como resultado, sua arte é tão familiar quanto perturbadora porque revela as partes mais inquietantes da sociedade, aquelas que nos “negam”. Sua arte é inteligente, bem-humorada e transborda de ironia e, em poucas palavras, sintetiza o absurdo do mundo, fazendo um apelo aberto ao seu público para se envolver e refletir sobre os valores sociais sistêmicos, materialidade e significado.